Segunda-feira, 8 de Outubro de 2007

o dicionário (volume I)

Mais uma vez, e depois de muito tempo de ausência, regresso com mais uma utilidade publica: o dicionário, volume I (A-I).

Quantos de nós já não nos deparamos com a dificuldade de escrever na língua portuguesa encontrando uma palavra que nem aos nossos avós lembra, e pensamos: o que eu não dava para ter um dicionário, aqui e agora!

Pois bem, as vossas preces foram atendidas, não peçam mais (porque isso já chateia, sempre a pedir, sempre a pedir…). Pela primeira vez em Portugal e em exclusivo neste blog o primeiro dicionário on-line, completamente grátis (portes de envio não incluídos)

Aqui encontraram todas as palavras seguidas das suas definições para que nunca mais surjam duvidas e para que possam começar a impressionar o vosso chefe, engraxando-o para alcançar a tal ambicionada promoção, ou mesmo para fazer furor em festas de amigos, casamentos ou mesmo ocasiões especiais… não perca mais tempo, consulte já!! (o autor não se responsabiliza por: uso inadequado do mesmo, efeitos secundários que este possa causar, irritabilidade, stress, mal estar, bem estar, vontade de sorrir, vontade de espirrar, comichão no nariz, vontade de coçar a cabeça, sonolência, incapacidade de operar maquinas pesadas, embriaguez e gravidez…)

 

Abóbora – é um fruto que tem aproximadamente o volume e conteúdo da cabeça humana.

Adolescência – altura em que o jovem se recusa veemente a acreditar que um dia será tão cretino como o pai.

Adolescente – criatura que está muito bem informada sobre qualquer assunto, desde que a matéria não conste do programa escolar.

Advogado – cavalheiro que salva os teus bens dos teus inimigos e os guarda para si.

Adultério – a democracia aplicada ao amor.

Álcool – substancia que mata o que está vivo, e conserva o que está morto.

Amor – loucura passageira curada com o casamento.

Amor platónico – amor que apenas funciona dos pescoço para cima.

Antiguidade – coisa cujo valor aumenta à medida que a sua utilidade diminui.

Autodidacta – ignorante por conta própria

Beijo – um nada dividido por dois, mas que dá muita satisfação a ambos.

Bígamo – um homem que comete o mesmo erro duas vezes.

Conversa – é algo em que o homem tem dificuldade em começar; a mulher em acabar.

Corrupto – o homem que é descoberto.

Criança – criatura que está sempre entre o adulto e a televisão.

Cristão – é alguém que se arrepende ao domingo do que fez no sábado à noite, mas que está pronto a repetir já na segunda-feira.

Dicionário – livro quem em ordem alfabética expõe toda a nossa ignorância.

Dinheiro – a coisa mais inútil do mundo, não estou interessado nele, apenas no que consigo comprar com ele.

Discoteca – lugar onde os filhos maus das famílias boas, se vão encontrar com as filhas boas das famílias más.

Divorcio – não podíamos viver juntos; eu tinha defeitos terríveis, ela qualidades insuportáveis.

Eco – a única coisa que pode ter a ultima palavra sobre a da mulher.

Egoísta – criatura de mau gosto que se interessa muito mais em si próprio, do que me mim!

Errar – quem é que não erra? A perspicácia é errar quando ninguém está a ver.

Escritor – individuo que mesmo depois de morto continua a ser chato.

Etc. – é de longe a palavra que mais aumenta o conhecimento de muita gente.

Exemplo – devemos dar o exemplo, embora isso não queira dizer que o pretendamos seguir.

Experiência – é um pente que a vida nos dá quando já não temos cabelo.

Felicidade – só depois de casado o homem percebe onde está a verdadeira felicidade, porém, demasiado tarde.

Fidelidade – há três amigos fiéis. Esposa idosa, cão velho e dinheiro à vista.

Futuro – é uma espécie de presente, mas que ainda não aconteceu.

Gentileza (masculina) – um homem recordar-se do aniversário de uma mulher, mas esquecer a sua idade.

Homem (rótulos) – o que procura ganhar dinheiro é ambicioso; se é económico é forreta; se gasta é desgovernado; se não ganha é porque carece de ambição; se o obtém sem trabalhar é um parasita; se o acumulou durante anos de vida é escravo…

Homem (fases da vida) – aos vinte anos é como a Austrália, irreverente e à procura de aventura. Aos trinta é como África, selvagem, explorador e um conquistador nato. Aos quarenta, ele é como o Japão, alta tecnologia com potência máxima. Aos cinquenta é como a Europa, muita cultura, mas decadente. Aos sessenta é como a Escócia, é uma gaita!

Ideias – acontece à quase totalidade das ideias o mesmo que acontece aos espermatozóides, raríssimos são os que são aproveitados.

Idiota – aquele que apresenta a sua melhor amiga ao seu melhor amigo.

Imortal – um tio milionário.

Incitamento – anime-se!! O pior ainda está para vir.

Infância – período da vida em que fazemos caretas para o espelho. MEIA-IDADE: período da vida em que o espelho se desforra.

Intuição – estranho instinto que diz a uma mulher que ela tem razão, quer tenha ou não.

 

 Se gostou do volume I então não perca o volume II (e já agora não se esqueça de comentar) desta magnifica colecção, para tal consulte regularmente este blog…

 

 

Por: (iN)difeRente, dichter schreiben einsam…


. indiferente às 14:51
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


.posts recentes

. Como disse?

. Coisas Realmente Inúteis....

. Silêncio...

. Remembrances

. Coisas a fazer...

. Assim será...

. Se fosse o ultimo momento...

. Wish I

. mas tu não estás

. undiscovered

.arquivos

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Outubro 2009

. Março 2009

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.links

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds